A Carris dá prejuízo porque é pública?

Em marchezanentrevista à rádio Gaúcha, o prefeito eleito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), disse que a Carris será privatizada se continuar dando prejuízo. Segundo a lógica dele, só pode ser público aquilo que dá lucro.

Isso não faz muito sentido. Se fosse assim, teria que defender o fechamento das escolas públicas. Afinal, alguém já viu escola pública dando lucro para o governo? O PSDB também poderia defender o fim das polícias, já que eles também nunca deram lucro. Sabe-se lá porque, entretanto, ninguém nunca viu um tucano ser contra a polícia.

Sobre o transporte público, em muitos países (tanto desenvolvidos quando subdesenvolvidos) ele dá prejuízo e é subsidiado com recursos públicos. Isso faz todo o sentido, já que um transporte público barato gera várias vantagens para as cidades. Não vou entrar nessa discussão aqui porque não é o foco do post, mas no artigo que eu escrevi uns meses atrás para a revista Indicadores Econômicos eu falo um pouco sobre isso.

Isso Linha de ônibus D43 – Universitária-Direta tem mais 28 viagens aos sábadossignifica que a Carris deve ter prejuízo e que isso é bom? Não, muito pelo contrário. O Brasil tem um modelo absurdo de mobilidade urbana que sempre incentivou o transporte individual motorizado. Por uma opção política, nosso país gasta milhões de reais todos os anos para subsidiar o uso do carro, mas subsidiar transporte público é considerado “intervencionismo” e, por isso, calcula-se uma tarifa de ônibus que possa cobrir todos os custos das empresas.

Se a tarifa é calculada para cobrir os custos (e, em Porto Alegre, as próprias empresas que apresentam os seus custos, incluindo a Carris), não faz sentido elas terem prejuízo. Tanto é que a Carris dava lucro. E com um serviço muito melhor que as outras! Ao longo dos anos 90, a Carris fez várias melhorias, como a renovação da frota e a instalação de ar-condicionado em vários ônibus. Isso fez com que ela ganhasse duas vezes o prêmio de melhor empresa de transporte coletivo do Brasil da ANTP, em 1999 e em 2001. E sem dar prejuízo!

Peguei as demonstrações contábeis da Carris dos últimos dez anos (com exceção da de 2008, que eu não achei) para mostrar que o prejuízo é algo relativamente recente. Até 2010 ela tinha lucro:

carris

Como os balanços divulgados não tem muitos detalhes, é difícil saber exatamente o que aconteceu. Mas dá para ver que o custo operacional que aparece nas demonstrações contábeis da Carris é bem diferente daquele que a própria Carris apresenta para a EPTC e que serve de base para o cálculo da tarifa. Não sei qual é o motivo dessa diferença, só quem pode responder porque as informações não batem é a própria prefeitura.

Se uma empresa que dava lucro e tem tudo para continuar dando lucro (já que participa de um mercado em que ha monopólio e as próprias empresas determinam o preço) começou a dar prejuízo de uma hora para a outra, não é sinal de uma ineficiência inerente ao setor público. É sinal de má gestão da atual prefeitura, que conta com a participação do PSDB, do PP e dos demais partidos da coligação do Marchezan (isso mesmo amiguinhos, apesar do discurso dele na campanha, o Marchezan era um candidato da situação). É a velha estratégia de sucatear para depois privatizar, política que o PSDB e o PMDB já fazem há muitos anos no RS e no resto do Brasil. E tem gente que ainda cai…

Anúncios